Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2010

historieta 1

O rato olhou no espelho. Seus olhinhos brilharam de volta, o outro que não era ele.
A verdade é que eu tenho medo.
A verdade é que o mundo mente, o mesmo tanto que eu.

E o rato foi lá, empilhar as mentiras bonitas, em uma caixa que dizia inofensivas.
Na verdade, queria esquecimento.
E conseguiu.

inconfessável I

Quando me tocas, desmancho
Desaproximas, rearranjo
Talvez só desejes me ver derreter
Pagarei, assim, seu preço
Não me sobra tanto apreço
Que me faça temer desaparecer.

Veja:
de perto
desperto.

canção da madrugada

A lua girou, girou
Traçou no céu um compasso
A lua girou, girou
Traçou no céu um compasso
Eu bem queria fazer um travesseiro dos seus braços
Eu bem queria fazer...
Travesseiro dos meus braços
Só não faz se quiser
Um travesseiro dos meus braços
Só não faz se não quiser...
Sustenta palavra de homem
Que eu mantenho a de mulher
Sustenta a palavra de homem...
Que eu mantenho a de mulher
A lua girou, girou
Traçou no céu um compasso
A lua girou, girou
Traçou no céu um compasso
Eu bem queria fazer um travesseiro dos seus braços
Eu bem queria fazer...

iubit

sinto, sonho, respiro.
tomo fôlego
sorrio de madrugada
tudo diferente
repleto

como pássaro observo
espero
o planar
completo

nas suas mãos, descanso.
Nao sem medo.
Mas com coragem suficiente
peito aberto.

-

Hoje eu gritei babaca, no seu ouvido com toda força.
Depois, em meio a voadoras de matrix, o acertei com zarabatanas.
(na testa)
Mas aí eu acordei.
Acendi uma vela e pedi, de uma vez por todas...

Some do meu cérebro!